UTILIZAÇÃO DE RADIOFÁRMACOS MARCADOS COM TECNÉCIO99M COMO POTENCIAIS MARCADORES NA OBTENÇÃO DE IMAGENS DE PERFUSÃO MIOCÁRDICA

Angela Machado Rocha, Poliana Cristina Mendes Oilveira

Resumo


A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta as doenças cardiovasculares como a principal causa de morte no mundo, caracterizando um grave problema na saúde pública. Os três tipos de doenças que mais acarretam em óbitos são: acidente vascular cerebral, seguido de infarto agudo do miocárdio e outras doenças isquêmicas do coração. Apesar dos avanços terapêuticos das últimas décadas, o infarto ainda apresenta altas taxas de mortalidade. Para as pessoas com doenças cardiovasculares ou com alto risco cardiovascular é fundamental o diagnóstico precoce da doença. A cintilografia de perfusão miocárdica é um método de investigação diagnóstica e prognóstico não invasivo de várias doenças cardiovasculares. Esse exame consiste na administração de um radiofármaco para obtenção de imagens de perfusão cardíaca. Dois traçadores marcados com Tecnécio-99m são amplamente utilizados na clínica, porém, esses dois radiofármacos não atendem aos requisitos de um agente de perfusão ideal, por possuírem uma alta absorção de fígado, produzindo artefatos na imagem, o que pode atrapalhar um diagnóstico preciso, já que a qualidade é comprometida, e prolongando o tempo de obtenção da imagem após administração do radioisótopo. Para superar essa lacuna, pesquisadores vêm estudando novos complexos catiônicos marcados com o Tecnécio. O objetivo desse artigo é fazer uma revisão, abordando a literatura sobre os radiofármacos que estão sendo estudados, suas vantagens e desvantagens sobre os traçadores já utilizados, e sobre sua potencial utilização na obtenção de imagem de perfusão cardíaca.

Palavras-chave: Cintilografia de Perfusão Miocárdica. Tecnécio. Perfusão Miocárdica. Farmacocinética.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v23i3.2019.6809