MEDIDA COMPUTADORIZADA DA EVOLUÇÃO DA ÁREA CICATRICIAL TRATADA COM ULTRASSOM TERAPÊUTICO E CITRATO DE SILDENAFILA

Gisele Schiochet, Laura Caon, Gabriela Maria Locatelli, Francieli Jaqueline Vieira, Caren Lis Albring, kauê Cesar Rossi, Otávio Ajala Fiorentin, Alvaro Vargas Junior, Nei Fronza, Débora Cristina Olsson

Resumo


Objetivou-se comparar a evolução da cicatrização de feridas cirúrgicas com cinco protocolos de tratamento através de análise planimétrica. Grupos de 12 ratos Wistar, foram alocados em cinco estudos experimentais: A - controle negativo (GCN); B - ferida cirúrgica, tratada com ultra-som terapêutico (UST) desligado (GUD); C-  ferida tratada somente com citrado de sildenafila (GCS); D-  ferida tratada com citrato de sildenafila e UST (GCU) e grupo E - ferida tratada somente com UST (GU). A evolução cicatricial foi acompanhada diariamente e avaliada por imagem fotográfica computadorizada aos sete, 14 e 21 dias. A aplicação do UST pulsado, com doses 1MHZ e 0,4Wcm2 reduziu o tempo de cicatrização epitelial em condições experimentais, favorecendo precocemente a reparação tecidual com efeitos qualitativos superiores ao tratamento com citrato de sildenafila (CS). A mensuração computacional mostrou-se um recurso de fácil aplicação sendo de baixo custo e eficiente para a aplicabilidade na rotina médica veterinária.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v23i3.2019.6822