CÂNCER INFANTOJUVENIL: PERFIL DOS PACIENTES ATENDIDOS NA UNIDADE DE ALTA COMPLEXIDADE EM ONCOLOGIA (UNACON) EM RIO BRANCO – ACRE, BRASIL, NO ANO DE 2017

Amanda Sibélle Mendonça Nascimento, Iago Correia Nobre, Maria de Fátima de Souza Lima, Eder Ferreira de Arruda, Natasha Varjão Volpáti

Resumo


O câncer infantojuvenil corresponde a um grupo de várias doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer órgão em fase do desenvolvimento. Assim, o objetivo deste estudo foi descrever o perfil clínico e epidemiológico de crianças e adolescentes atendidos na UNACON durante o ano de 2017. Trata-se de um estudo transversal, desenvolvido a partir da análise de 20 prontuários de crianças e adolescentes com câncer. Foram coletados dados sobre as características sociodemográficas e clínicas-epidemiológicas dos pacientes. Os dados foram digitados, revisados e analisados no programa estatístico SPSS. Foram calculadas as frequências e a média das variáveis de interesse. Observou-se que a maior frequência de pacientes estava na faixa etária de um a três anos (45,0%), do sexo masculino (60,0%), pardos (70,0%), com renda familiar de até um salário mínimo (60,0%) e metade procedentes do interior do estado (50,0%), sendo o tipo de câncer mais diagnosticado a leucemia linfoide aguda (45,0%) e o principal tratamento utilizado a quimioterapia (95,0%), causando principalmente alopecia (100%), algia (100%), náuseas (65,0%), palidez (40,0%) e febre (25,0%) nos pacientes. Foi possível concluir que conhecer o perfil pode contribuir para a tomada de decisões da equipe gestora e profissionais de saúde da unidade no estabelecimento de medidas assistenciais aos pacientes, visando um atendimento mais humanizado, voltado para as necessidades sociodemográficas e levando em consideração as características clínicas-epidemiológicas desse grupo populacional. 

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v24i1.2020.6898