INTERNAÇÕES HOSPITALARES DE ADOLESCENTES: UM ESTUDO ECOLÓGICO DE 2012 A 2017

Alisse Maria Chaves de Lima Peixoto, Rebeca Bezerra Bonfim de Oliveira, Alisson José de Lima Peixoto

Resumo


Objetivo: Descrever as internações hospitalares dos adolescentes em Pernambuco entre os anos de 2012 a 2017.  Método: Estudo descritivo e ecológico, realizado com adolescentes com 10 a 19 anos, de ambos os sexos. Foram utilizados dados provenientes das Autorizações de Internações Hospitalares (AIH), disponibilizados pelo Departamento de Informática do SUS (DATASUS). Resultados: Foram registradas 357714 internações envolvendo adolescentes, correspondendo a 11,1% de todas as internações hospitalares. Os mais jovens (10 a 14), apresentaram apenas 25,8% dessas internações, enquanto os mais velhos representaram 74,2%. A principal causa no sexo feminino foi gravidez, parto e puerpério em todos os anos. Já para o sexo masculino, lesões por envenenamento e outras consequências de causas externas.  A Região de Saúde I foi responsável por mais da metade das internações hospitalares em Pernambuco. Conclusão: As principais causas nas meninas foram Gravidez, parto e puerpério e, nos meninos, lesões, envenenamentos e outras consequências de causas externas.

Palavras-chave: Adolescente; Saúde do Adolescente; Hospitalização.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v25i3.2021.7629

Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR