MENINGITE BACTERIANA: UMA REVISÃO

Letícia Franco Batista, Silvia Minharro Barbosa, Felipe Moreira Dias

Resumo


A meningite bacteriana é uma inflamação das leptomeninges que envolvem o Sistema Nervoso Central. Essa patologia, que possui diversos agentes etiológicos, apresenta-se na forma de síndrome, com quadro clínico grave. Entre as principais bactérias que causam a meningite, estão a Neisseria meningitis e Streptococcus pneumoniae. A transmissão ocorre através das vias aéreas por meio de gotículas, sendo a corrente sanguínea a principal rota para as bactérias chegarem à barreira hematoencefálica e, a partir dessa, até as meninges. Atualmente existem vários métodos de diagnóstico precisos, onde a cultura de líquido cefalorraquidiano (LCR) é o método padrão ouro. Ademais, a melhora na qualidade do tratamento com beta-lactâmicos e a maior possibilidade de prevenção, devido à elevação do número e da eficácia de vacinas, vem contribuindo para redução dos casos da doença e de sua gravidade. Porém, apesar desses avanços, ainda há um elevado número de mortalidades e sequelas causadas por essa síndrome.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v26i2.2022.8140

Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR