Análise Crítica Dos Cronotipos De Acadêmicos Do Primeiro Período Do Curso De Biologia Da Universidade Católica De Goiás

Eduardo José de Almeida Araújo, Jussara Rocha Ferreira

Resumo


Estudamos os cronotipos dos alunos do curso de biologia (40) da Universidade Católica de Goiás. Fizemos um trabalho descritivo, qualitativo – estudo de caso – onde o instrumento de medida fechado utilizado foi proposto por HORNE & OSTBERG (1976) e adaptado por CARDINALI et al. (1992), e no aberto estabelecemos o rapport (TRIVIÑOS, 1987), para atingir a máxima profundidade dos fenômenos estudados. Baseado nos cronotipos discutimos: o interesse do grupo de alunos nas aulas, dificuldades, atenção, compromisso e fixação dos conteúdos. Dos indivíduos analisados 55% eram intermediários, 35% eram moderadamente matutinos, 7,5% moderadamente vespertinos e 2,5% definidamente matutinos. Interpretamos que a população estudada não tem perfil matutino; o planejamento pedagógico é programado para uma sociedade matutina; as atividades escolares não consideram os conhecimentos científicos que podem contribuir para melhorar o desempenho saudável da produtividade humana, porque além da luz, o fator social é um importante sincronizador; as características cronobiológicas deste grupo podem ter influído no rendimento escolar; a política educacional deve olhar mais tais aspectos em virtude do mercado exigir profissionais competitivos que irão, cada vez mais, enfrentar a insegurança; as barreiras pedagógicas negativas que observam conveniências unilaterais dos grupos proponentes estão desvinculadas do humanismo proposto para a construção do profissional cidadão combativo; a proposta pedagógica imposta não leva o indivíduo a vencer os desafios da globalização.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v5i2.2001.1113