Dimensão Vertical da Face : Revisão de Literatura

Lauri Dalmagro Filho, Fábio Torres Maria, Ricardo Sampaio Souza, Ricardo Takahashi, Tieo Takahashi, Walter Rino

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar, por intermédio de uma revisão de literatura, como e onde ocorre o crescimento vertical da face e sua conseqüência. Através dos resultados e conclusões encontrados nos diversos trabalhos pesquisados, observou-se que: a altura facial inferior sofre maior alteração que a superior, tanto na região anterior da face como na posterior; as proporções faciais anteriores apresentam valores em torno de 44% para altura facial anterior superior e 56% para altura facial anterior inferior; o índice de altura facial pode variar de 0,55 a 0,85 em indivíduos com harmonia facial aceitável; o plano mandibular, ângulo goníaco e a altura facial anterior total são significamente maiores em indivíduos com face longa e menor nos com face curta; a rotação mandibular ocorre por uma desproporção entre o crescimento na região posterior da face comparado ao anterior; o crescimento condilar influencia o padrão morfológico facial; o crescimento dentoalveolar, condilar e sutural contribuem para o desenvolvimento vertical da face e o padrão respiratório e mastigatório podem influenciar no crescimento vertical.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v6i2.2002.1178