EVIDÊNCIAS PARA PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO FÍSICO NA TERAPÊUTICA DA DISFUNÇÃO ENDOTELIAL

Kleverton Krinski, Izabel Aparecida Soares, Hassan Mohamed Elsangedy, Heriberto Colombo, Cosme Franklim Buzzachera, Wagner de Campos, Sergio Gregorio da Silva

Resumo


O exercício físico vem sendo indicado na terapêutica de diversas doenças que acometem o sistema cardiovascular, das quais podemos destacar a disfunção endotelial, considerada como o estágio inicial para a formação da placa aterosclerótica. Diante disso, os estudos que buscam investigar a melhora da função do endotélio assumem uma importância capital na prevenção e tratamento da doença arterial coronariana. O presente estudo buscou revisar os conceitos divulgados na literatura sobre a prática clínica, por meio do exercício físico, na terapêutica da disfunção endotelial. A análise da literatura apresentou evidências contundentes de que o exercício físico se demonstra eficaz na prevenção e redução dos efeitos deletérios da disfunção endotelial. As possíveis explicações para estes achados estariam relacionadas com um declínio nos fatores de risco cardiovasculares, levando a uma menor produção de marcadores inflamatórios, aumento na biodisponibilidade de óxido nítrico e maior capacidade antioxidante. Portanto, a terapêutica envolvendo o exercício físico apresenta-se como uma abordagem clínica eficaz e acessível, a ser empregada no tratamento da disfunção endotelial.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v11i2.2007.1525