ESTRESSE E LESÕES EM ATLETAS DE ESPORTES COLETIVOS

Gislaine Contessoto Pizzo, Marcos Vinícius Sishieri Akamine, Patricia Carolina Borsato Passos, Luciane Cristina Arantes Costa

Resumo


O objetivo deste estudo foi analisar os níveis de estresse em atletas lesionados de modalidades coletivas de um município do noroeste do Paraná. Os sujeitos da pesquisa foram 14 atletas de ambos os sexos, com média de idade 23,5 anos. Como instrumentos foram utilizados o Restq – Sport 76 e entrevista semi-estruturada. Para análise dos dados, utilizaram-se o teste Shapiro Wilk e “U” de Mann-Whitney (p<0,05); na análise das questões abertas foi realizada a análise de conteúdo. Os resultados demonstraram que as ocorrências de lesões foram maiores em atletas de rugby e a localização das lesões, nas modalidades em geral, foram mais frequentes nos joelhos e ombros. Em relação ao estresse foram encontrados níveis baixos de estresse geral, emocional e social. Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas nos níveis estressantes e tranquilizantes entre os sexos. Conclui-se que atletas com nível maior de valores tranquilizantes e níveis estressantes baixo relataram alguns aspectos negativos, mas os aspectos psicológicos positivos se sobressaíram, o que contribui para o processo de recuperação das lesões.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v20i1.2016.5097

Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR