QUALIDADE DE VIDA E ATIVIDADE FÍSICA: UM ESTUDO CORRELACIONAL EM IDOSOS COM HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA

Mayara Letícia Rinaldo, Patricia Carolina Borsato Passos, Francielli Ferreira da Rocha, Jéssica Luzia Milani, Lenamar Fiorese Vieira

Resumo


O objetivo deste estudo foi investigar a relação entre qualidade de vida e o nível de atividade física de idosos com hipertensão arterial sistêmica da cidade de Mandaguaçu – PR. A amostra foram 48 idosos de ambos os sexos com hipertensão arterial sistêmica, participantes do programa HIPERDIA. Como instrumentos foram utilizados o SF – 36 para analisar a qualidade de vida e o IPAQ para a mensuração do nível de atividade física. Para análise dos dados foi utilizado o teste Shapiro Wilk, o teste “U” de Mann-Whitney, Kruskal Wallis e o Spearman (p≤0,05). Os idosos obtiveram níveis altos de atividade física (83,3%) foram considerados ativos. Houve correlações significativas entre a qualidade de vida nas dimensões capacidade funcional, limitação por aspectos físicos e vitalidade com atividade física moderada e vigorosa. Conclui-se que quanto mais os idosos realizam atividades físicas moderadas e vigorosas, melhor é a qualidade de vida no aspecto da capacidade funcional.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v20i1.2016.5472

Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR