A INGESTÃO DO ANTI-INFLAMATÓRIO NÃO ESTEROIDE NAPROXENO AFETA PARÂMETROS NEUROMUSCULARES E METABÓLICOS?

Moises Silvestre de Azevedo Martins, Eryclis Eduardo Miguel Nunes

Resumo


O naproxeno, assim como outros anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), está entre os medicamentos mais prescritos no mundo. O objetivo do presente estudo é analisar o efeito da ingestão de naproxeno em parâmetros neuromusculares e determinar seu efeito no dano muscular por meio do uso do marcador lactato. Metodologicamente, foi conduzido um estudo cruzado randomizado, duplo-cego e controlado por placebo em 11 homens treinados em resistência, que realizaram uma sessão de treinamento de força após ingerir 500 mg de naproxeno e outra sessão de treinamento após ingerir um placebo. Os participantes realizaram três séries de supino horizontal com uma carga de 90% da repetição máxima (1RM) até a falha concêntrica. As variáveis de resultado incluíram número de repetições, carga de trabalho e lactato. Os resultados mostraram que há uma correlação positiva e moderada entre as variáveis somatório de repetições e carga total e entre as variáveis lactato e carga total, no grupo naproxeno. No grupo placebo, a correlação positiva e moderada deu-se entre somatório de repetições e carga total. Na análise magnitude baseada nas interferências, as variáveis se mostraram possíveis para uma probabilidade positiva ou trivial e improvável para uma probabilidade negativa. Concluiu-se no presente estudo que o uso do naproxeno como recurso ergogênico no treinamento de força reduz a percepção de fadiga, mas não tem efeito direto no dano muscular, analisado a partir do marcador lactato, logo não interfere de maneira significativa nos parâmetros neuromusculares analisados.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v24i3.2020.7996