PERFIL DAS MULHERES USUÁRIAS DO SUS COM LESÕES INTRAEPITELIAIS EM UM MUNICÍPIO DO OESTE DO PARANÁ

Tatiane Rafaelle Moreira, Aline Cristine Soares de Lima, Maiara Aline dos Santos, Marcos Ereno Auler, Maurício Turkiewicz, Michele Ana Flores Chaves, Jacqueline Plewka

Resumo


O câncer cervical é o quarto tipo de tumor mais frequente entre mulheres e quarta causa de mortalidade feminina por câncer no Brasil. Neste trabalho o objetivo foi demostrar o perfil das mulheres atendidas pelo SUS que apresentaram lesões intraepiteliais de baixo grau (LSIL) e alto grau (HSIL) no exame preventivo citopatológico realizado por um laboratório de citopatologia credenciado ao SUS que atende Cascavel-PR e distritos. No período de maio de 2014 a maio de 2015 foram observados 395 exames citopatológicos com LSIL e 160 com HSIL, cuja faixa etária predominante foi dos 25 aos 64 anos (70,64%). Em média observou-se os seguintes resultados: a JEC esteve presente em 90,56% das amostras; o colo cervical apresentou-se normal em 77,31% das mulheres e 43,58% destas mulheres em estudo haviam realizado um exame anterior em até um ano, sendo que o maior motivo para realização do mesmo foi o rastreamento (89,11%). Mais que 90% das mulheres não apresentaram sangramentos, seja após a relação sexual ou menopausa. As lesões também prevaleceram em mulheres atendidas na UBS (61,98%) mesmo elas sendo em menor número se comparadas àquelas atendidas por USF. Esses dados demostram a importância da realização desse exame, pois na maioria das lesões as mulheres não apresentaram sintomas ou alterações clínicas.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v21i3.2017.6181