PREVALÊNCIA DE GLICEMIA SUGESTIVA DE DIABETES MELLITUS E INTOLERÂNCIA À GLICEMIA DE JEJUM EM UMA CIDADE DO INTERIOR DO BRASIL

Newton Alexandre Camacho Gomide, Osvaldo Costa Moreira, Renata Aparecida Rodrigues de Oliveira, Paulo Roberto dos Santos Amorim, João Carlos Bouzas Marins

Resumo


Este trabalhou objetivou determinar a prevalência de portadores de intolerância à glicose de jejum (IGJ) e de glicemia sugestiva de Diabetes Mellitus (GSD) em uma cidade do interior do Brasil. Com base em um estudo retrospectivo observacional transversal em amostra de conveniência, que avaliou resultados de glicemia em jejum obtidos pela técnica de glicose-oxidase de 1076 indivíduos (682 mulheres e 394 homens), com idades compreendidas entre 6 e 85 anos, do Município de Viçosa/MG. Após análise descritiva dos dados, comparação entre gêneros (teste t) e faixas etárias (ANOVA one way), verificou-se a associação entre alterações da glicemia de jejum e o gênero (Odds Ratio e Razão de Prevalência). A prevalência de GSD foi de 4,37 % e a prevalência de IGJ foi de 9,11%. De modo geral, houve tendência ao aumento da prevalência de GSD e IGJ com o avançar da idade. Além disso, as alterações da glicemia de jejum não mostraram associação com o gênero. Assim, conclui-se que, a prevalência de glicemia de jejum sugestiva de diabetes mellitus no município de Viçosa/MG é menor que a estimada para a população brasileira. Já a prevalência de intolerância a glicemia de jejum é elevada e indica a necessidade de intervenções de saúde pública junto à população.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v17i3.2013.5063