MICROSCOPIA DE EPIFLUORESCÊNCIA PARA A DETERMINAÇÃO DE BIOMASSA MICELIAL EM SUBSTRATO DE CULTIVO SÓLIDO PARTICULADO

Daniel Cardoso Morais, Priscila Rosseto, Rafael de Carli Marcante, Paola Silva Frison, Fabio Gomes Ferreira, Henrique Susumu Tanaka, Nelson Barros Colauto, Juliana Silveira do Valle, Silvia Graciele Hülse de Souza, Odair Alberton, Giani Andrea Linde

Resumo


A determinação de biomassa micelial fúngica crescida em substratos de cultivo sólido particulado (SCSP) é ainda um desafio devido à dificuldade de separação do micélio e o substrato. O objetivo deste trabalho foi avaliar a técnica de microscopia de epifluorescência para determinação da biomassa micelial de Pleurotus ostreatus em SCSP. Para determinação da exatidão da metodologia P. ostreatus foi crescido em meio líquido de extrato de malte e; a biomassa micelial foi separada por centrifugação, liofilizada e moída. Concentrações conhecidas do pó do micélio foram misturadas ao SCSP, composto de bagaço de cana de açúcar e fibra de soja, previamente autoclavado. Em seguida, a biomassa micelial foi determinada por microscopia de epifluorescência. Para promover a variação da biomassa micelial a ser determinada por microscopia de epifluorescência, SCSP adicionado de diferentes concentrações de ferro foram utilizados para o crescimento do fungo. Concluiu-se que a técnica apresenta baixa precisão e exatidão, o que implica na necessidade de maiores estudos para aplicação desta técnica para a determinação de biomassa micelial crescida em SCSP.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v15i2.2012.4233