HÁBITOS ALIMENTARES, NÍVEIS DE ATIVIDADE FÍSICA E PERFIL ANTROPOMÉTRICO DE VIGILANTES DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ DE DIFERENTES TURNOS DE TRABALHO

Gabriel Sergio Fabricio, Tatiane Aparecida Ribeiro da Silva, Laize Peron Tófolo, Leandro Rechenchosky, Wilson Rinaldi

Resumo


Este trabalho objetivou investigar o impacto que os diferentes turnos de trabalho exercem sobre o estilo de vida de vigilantes. Participaram do estudo 30 vigilantes do sexo masculino, de três turnos diferentes. Os hábitos alimentares foram avaliados pelo inquérito alimentar (recordatório mensal). A atividade física foi avaliada por meio do IPAQ - versão curta. O perfil antropométrico foi verificado pelo peso corporal e estatura, (IMC) e percentual de gordura. Para verificar a distribuição dos dados aplicou-se o teste de Shapiro Wilk. Para comparação dos grupos quanto às variáveis quantitativas, utilizou-se o teste Anova 1 fator. Para verificar possíveis associações entre o turno de trabalho e as variáveis dependentes utilizou-se o Qui-quadrado de Pearson e o Qui-quadrado para tendência. Não foram encontradas diferenças significativas entre as variáveis investigadas de acordo com o turno de trabalho (p>0,05), assim como, não houve associação do turno de trabalho com o nível de atividade física (p=0,98), com os hábitos alimentares (p=0,42) e com a gordura (p=0,73). Dessa forma, conclui-se que o turno de trabalho não causou impacto no estilo de vida dos vigilantes, principalmente os do turno noturno, o que se sugere que novos estudos sejam realizados em outras instituições de ensino, uma vez que a realidade da UEM pode não se repetir.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v16i1.2012.4562