Fatores contextuais na relação docente e discente

Eliane Campos Ruiz Leite, Terezinha de Fátima Aguiar, Maria Terezinha Marques Siqueira

Resumo


O presente artigo, portanto, tem como objetivo apresentar reflexões sobre a relação do educando e educador a partir de uma nova dimensão sócio-cultural bem como suas relações nos processos ensino-aprendizagem. Tomando por base as características fundamentais do educador e do educando, como seres humanos e como sujeitos da práxis pedagógica, o referencial teórico analisado demonstra que o papel do educador está em criar condições para que o educando aprenda e se desenvolva de forma ativa, inteligível e sistemática. Para tanto, o educador, de modo algum, pode obscurecer o fato de que o educando é um sujeito ativo e que, para que aprenda, deve criar oportunidades de aprendizagens ativas, de tal modo que o educando desenvolva suas capacidades cognoscitivas assim como suas convicções afetivas morais, sociais e políticas. O educador, como sujeito direcionador da práxis pedagógica escolar, deve no seu trabalho docente, estar atento a todos os elementos necessários para que o educando aprenda e se desenvolva efetivamente. Para isso, além das observações aqui contidas, deve ter presente os resultados das ciências pedagógicas, da didática e das metodologias específicas de cada disciplina.

Texto completo:

PDF


Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR