ÉTICA NA ADVOCACIA E MUNDO DIGITAL: DESAFIOS PARA O ADVOGADO 4.0

Max Xavier Rocinholi, Luiz Roberto Prandi

Resumo


O respectivo artigo buscará levantar questionamentos a respeito da atuação do advogado nos meios digitais e suas implicações em relação ao Código de Ética e Disciplina da OAB (Resolução CFOAB n.º 02/2015) e ao Estatuto da categoria (Lei n.º 8906/94). Tais mecanismos servem como parâmetro ético e norteiam a atividade advocatícia. Nesse sentido, investigar-se-á os principais mecanismos utilizados pelos advogados no campo digital, arrazoando suas implicações na esfera ética de tal profissão. De plano, serão analisadas a validade do impulsionamento pago de publicações em redes sociais e a participação do advogado em plataformas de cadastro, divulgação e angariação de clientela. Num segundo momento, buscou-se a jurisprudência do Ementário da OAB Paraná, para os resultados da pesquisa “publicidade”, com ênfase nos meios digitais. Estabelecendo ao final uma conclusão sobre o que se entende salutar para o bom exercício da advocacia digital.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/akropolis.v29i1.8487

Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR