O EFEITO DO USO DE ANTIOXIDANTES NA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA NEUROPATIA DIABÉTICA NO SISTEMA NERVOSO ENTÉRICO

Paulo Emilio Botura Ferreira, Mônica de Oliveira Belém, Juliano Yasuo Oda

Resumo


O Diabetes mellitus (DM) é um distúrbio metabólico, complexo e de etiologia múltipla. Esta doença causa prejuízos aos sistemas vasculares e nervosos que se manifestam na forma de macro e microangiopatias e neuropatias diabéticas com alta incidência e prevalência na população mundial. Entre as neuropatias existentes, a neuropatia autonômica afeta o trato gastrointestinal (TGI) e caracteriza-se por alterações degenerativas em componentes do sistema nervoso entérico, como neurônios e células gliais. Consequentemente, ocorrem modificações na secreção e motilidade do TGI que são responsáveis por sintomas comuns da doença, tais como náuseas, inchaço, dor abdominal, diarreia, entre outros. Estudos experimentais e clínicos sugerem que o estresse oxidativo esteja envolvido na patogênese e na progressão da neuropatia diabética autonômica no sistema nervoso entérico. Assim, compostos antioxidantes que previnem a formação e/ou neutralizam os radicais livres oriundos do estresse oxidativo podem ter um papel relevante no tratamento das complicações neurológicas do diabetes mellitus. Neste artigo, realizou-se uma revisão da literatura sobre os principais aspectos, quadro clínico e patogênese do DM e a ocorrência da neuropatia diabética autônoma no sistema nervoso entérico, abordando as principais pesquisas que empregaram antioxidantes para prevenir e/ou tratar os danos neurológicos que são consequências desta patologia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v19i2.2015.5432